Madame Satã

Marcos PizanoBy Marcos Pizano 7 meses agoNo Comments
Home  /  Marcos Pizano  /  Madame Satã

o indi(vi)zível tempo 

encara o punhal 

.

Becte sente saudade

e diz nos olhos 

fazendo de mim âncora gutural 

.

a lembrança é presente 

o desejo é futuro 

– o ontem pode ser ainda? 

.

agora freme no gozo peristáltico 

com ressonância intestinal 

.

(não se tem prazer na lira do passado 

que só há porque se fez presente 

quando 

cuja vocação 

era ser efêmero orfeu)

.

nos lábios

o amor presentifica o primeiro beijo 

.

no afiado metal

o sangue é só o meu

 

 

.

Category:
  Marcos Pizano
Marcos Pizano

Marcos Pizano é jornalista e poeta de Timóteo, Minas Gerais. Parcipou do Movimento Poético de Governador Valadares, onde foi editor de Cultura do Diário do Rio Doce e ajudou a editar o folhetim “Varal”. Mora em Ribeirão Preto / SP, e é editor executivo da EPTV, emissora afiliada à Rede Globo. Edita o blog “Verso Aberto”.