Decisão

Bispo FilhoBy Bispo 3 anos agoNo Comments
Home  /  Bispo Filho  /  Decisão

editedz

Passei o dedo no cascalho – pé de moleque.
Ralei o gatilho do joelho na areia para chutar o vento.
Um menino deu um estardalhaço na porta do supermercado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As pernas retesadas do goleiro na porta de aço do supermercado.
Calções estampados enfunando-se na aragem da noite, e alguém
correndo de paletó xadrez – proteção para uma chuva que não haveria de cair.

Passei o dedo no cascalho – pé de moleque.
Ralei o gatilho do joelho na areia para chutar o vento.
Um menino deu um estardalhaço na porta do supermercado:

Torpedo de gol com narração simultânea de rádio.
As oscilações lentas dos gritos eufóricos vibraram a noite.
Depois, enfiaram-se nas algibeiras das reses do rebanho.

E guardaram-se para as noites pachorrentas e pestanudas
Quando não se pode sagrar-se nunca mais tricampeão do mundo.
Quando a lei dos pardais já não dissolve distâncias de cimento

 

 

 

Category:
  Bispo Filho
Bispo Filho

Bispo Filho é poeta de Governador Valadares, Minas Gerais, onde fez parte do Movimento Poético e ajudou a editar o folhetim “Varal” e o jornal “Poetarte”. Escreveu os livros “Colosso Ciclone” e “Meninos de São Raimundo”, com Roberto Lima. É professor, músico e artista plástico. Edita o blog “Fumegação”.