à luz dos pássaros

Verso AbertoBy Verso Aberto 1 ano agoNo Comments
Home  /  Carvalho Júnior  /  à luz dos pássaros

carvalho

O Verso Aberto tem hoje a visita do poeta Carvalho Júnior. Ele se apresenta como professor/versicultor, índio fantasma da tribo Quirola. Vencedor do Troféu Nauro Machado de Poesia no I Festival Maranhense de Conto e Poesia promovido pela Universidade Estadual do Maranhão. Publicou 3 livros de poemas, o mais recente “Dança dos dísticos” (Patuá, 2014). É um dos organizadores do sarau Na Pele da Palavra e faz parte do coletivo de poesia Academia Fantaxma. Tem poemas publicados em antologias e revistas literárias nacionais. Prepara a publicação do novo livro de poemas “No alto da ladeira de pedra”.  [professorcarvalhojunior@gmail.com]

 

Alçapão

 

teus seios me tentando depois do banho

são ímãs delicados, instrumentos infalíveisce510b72cecf7d84170164e32e6f07972

como um apito no chamado da inhambu.

 

tua pardaloca afogueada me armadilha,

me enrodilha, me remove as penas,

me renova as armas de canto.

 

 

x – o – x

Cuidado!

Para Lucas Rolim

 

cuidado:

poeta elétrico,

cão mordido de solidão.

 

não bata palmas.

não pergunte ao vizinho se ele está.

 

com uma dor vespertina

de segunda-feira no peito,

pule o portão!

x – o – x

Crepúsculos infantes

 

era o aniversário de Rimbaud.

 

meus lábios bebiam a luz dos pássaros como se fosse cerveja.

 

a ponte quis pular de mim para se unir às cacimbas de mistério do rio e encontrar o menino que ao lado da andorinha azul estica as asas sobre as margens macambúzias da tarde.  

e-proibido-cochilar-2

uma lágrima do meu olho esquerdo dourou uma pedra branca que dormia ao pé de um barco abandonado.

 

a obrigação do trabalho me fez acordar do delírio inventado por crepúsculos infantes.

 

a rede cicatrizada da saudade me capturou na imagem em projeção do peixe vermelho do Bar do Gilvan na lousa do horizonte de vidro dos teus olhos.

 

 

 

Categories:
  Carvalho JúniorConvidado